Estamos no seu:
Lembrar Apelido TVid

Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

  • Tópico criado por: JoaoMB
  • Primeira
  • 23
  • Página de 25
  • 25
  • Última
  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 22/06/2020 às 15:55
    Autor: Marko3 Offline

    Para quem falava que tinha de matar uns 30 mil os números de mortes superaram as expectativas do tal fulano.

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 28/06/2020 às 17:10
    Autor: r2reis Offline

    Vacina contra a Covid-19: o que se sabe sobre o imunizante que será produzido no Brasil
    Ministério da Saúde divulgou neste sábado que, caso seja provada sua eficácia, 100 milhões de doses serão feitas no país
    Bruno Alfano
    28/06/2020 - 04:30 / Atualizado em 28/06/2020 - 16:31


    RIO - Neste sábado, o Ministério da Saúde anunciou que o Brasil vai produzir até 100 milhões de doses da vacina contra Covid-19 em parceria com a Universidade de Oxford, com investimento de US$ 127 milhões (cerca de R$ 693,4 milhões).

    Segundo o governo, as doses só serão ministradas após a finalização dos estudos clínicos e a comprovação de sua eficácia.

    Abaixo, leia perguntas e respostas com o que se sabe sobre a vacina.

    As informações são de Sue Ann Costa Clemens, diretora do Instituto para a Saúde Global da Universidade de Siena e pesquisadora brasileira especialista em doenças infecciosas e prevenção por vacinas e responsável pela articulação para trazer os testes ao Brasil, e de Claudio Ferrari, do médico diretor de comunicação do Instituto Dor de Pesquisa e Ensino (Idor) e do Ministério da Saúde.

    A pesquisa para a vacina está em qual estágio?

    Na fase de testes clínicos, que é a última etapa. Antes disso, ela já foi testada em animais e em pequenos grupos de humanos. Até agora, nove mil pessoas já receberam doses e a pesquisa já indica que ela é segura. Só falta constatar sua eficiência, que será testada em 50 mil pessoas em diferentes países, entre eles o Brasil.

    Ela é composta com o próprio vírus da Covid-19?

    Não. A vacina é feita por um fragmento de proteína do vírus, o Sars-CoV-2, junto de um outro vírus (adenovírus) que, além de ser inócuo ao humano, é inativado. O RNA do coronavírus - que é capaz de se reproduzir no corpo humano e, assim, causar a doença - não é injetado no corpo humano.

    Como funciona?

    O adenovírus é "equipado" com uma proteína do coronavírus e injetado no humano. O sistema imunológico, então, produzirá anticorpos para combater essa proteína do coronavírus. Assim, quando o causador da Covid-19 infectar a pessoa, o corpo dela já vai reconhecer a proteína e ter as defesas necessárias.

    Como Oxford chegou a essa fórmula?

    Ela já utilizava essa tática para buscar vacinas contra a Mers, doença respiratória causada por outro coronavírus, e o ebola. Essas vacinas ainda estão em fase de desenvolvimento. Por conta da urgência da pandemia de Covid-19, ficaram em segundo plano.

    Quando ficará pronta?

    Os estudos clínicos, que podem levar pelo menos um ano, estão começando no Brasil. No Reino Unido, já acontecem há um mês e meio. A expectativa dos pesquisadores é ter o resultado da sua eficiência entre outubro e novembro. Com essa confirmação, seus primeiros lotes seriam disponibilizados em dezembro e janeiro.

    O Brasil terá doses para todo mundo?

    O primeiro plano do Ministério da Saúde é imunizar100 milhões de pessoas. Elas serão destinadas para idosos, pessoas com comorbidades, profissionais de saúde, professores, indígenas, pessoas em privação de liberdade, adultos e adolescentes em medida socioeducativa, profissionais de segurança pública e motoristas de transporte público.

    A vacina custará caro ao governo brasileiro?

    Ela custa US$ 2,30 por dose. Outras vacinas, como a da influenza, chegam a custar US$ 10.

    Há contra-indicações ou efeitos colaterais?

    10% das pessoas poderão apresentar um quadro gripal, com febre de leve a moderada, por no máximo dois dias.

    PUBLICIDADE

    Qual o tempo de imunização?

    Baseado em vacinas similares, como a que está sendo desenvolvida para Mers, o tempo de imunização é de aproximadamente um ano.

    Há outras vacinas em testes?

    Ha mais de 200 tentativas. A Organização Mundial da Saúde declarou nesta semana que a mais avançada é a da Universidade de Oxford que será produzida no Brasil. Não muito atrás estão as pesquisas da farmacêutica Moderna e da chinesa Sinovac, que também deverá começar a ser testada no Brasil em julho, depois de a companhia fechar acordo com o Instituto Butantan, ligado ao governo do Estado de São Paulo.

    Quem está desenvolvendo a vacina?

    A Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. No Brasil, os testes clínicos estão sendo conduzidos pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), pelo Instituto Dor de Pesquisa e Ensino (Idor) e pelo Grupo Fleury.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 01/07/2020 às 10:57
    Autor: fuente Offline

    Quer coisa mais imbecil do que medir a temperatura no comercio, quem esta com febre alta tipo 40 graus, não vai fazer compras, estara em casa de cama, nem disposição pra sair vai ter.

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 05/07/2020 às 19:24
    Autor: r2reis Offline

    Homem invade link da GloboNews e grita Globo lixo
    Caso aconteceu em Fortaleza, no Ceará
    Por IG - Gente

    Publicado às 16h55 de 05/07/2020 - Atualizado às 17h00 de 05/07/2020

    Neste domingo (05), um homem invadiu um link ao vivo da GloboNews para xingar a emissora. O caso aconteceu em Fortaleza, no Ceará. À situação, a repórter Wânyffer Monteiro falava sobre a pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2) quando um cidadão, sem máscara, se aproximou do microfone e gritou: "Globo lixo. Globo lixo, viu?". Após isso, ele se afastou.

    Constrangida com a situação, a repórter da GloboNews comentou: "O pessoal tem o direito de se manifestar, mas nós também temos o direito de passar a informação". Depois da saia justa, ela continuou seu trabalho.

    De acordo com o último levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, o Ceará tem 120.952 casos e 6.411 mortes por Covid-19.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 13/07/2020 às 20:18
    Autor: r2reis Offline

    Para quem não quer a chinesa, tem a russa...

    Universidade da Rússia conclui testes clínicos e é o país mais próximo da vacina contra o coronavírus
    Testes começaram no dia 18 de junho, quando o primeiro grupo, de 18 voluntários, recebeu a imunização
    Por ESTADÃO CONTEÚDO

    Publicado às 18h42 de 13/07/2020 - Atualizado às 18h59 de 13/07/2020

    Rússia - A Rússia anunciou no último domingo, que concluiu a primeira fase de testes de uma vacina contra a covid-19. O país está mais perto de se tornar o primeiro a iniciar a distribuição de uma vacina contra o coronavírus para a população.

    "A pesquisa foi concluída e provou que a vacina é segura", disse Yelena Smolyarchuk, chefe do centro de pesquisas clínicas da Universidade Sechenov, à agência de notícias estatal TASS.

    A vacina aprovada foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa para Epidemiologia e Microbiologia Gamalei. Segundo o diretor da instituição, Alexander Gintsburg, a previsão é que a vacina "entre em circulação civil" entre 12 e 24 de agosto.

    Os testes com a vacina começaram no dia 18 de junho, quando o primeiro grupo, de 18 voluntários, recebeu a imunização. Cinco dias depois, no dia 23, mais 20 pessoas receberam a dose, também deste tipo.

    "Os voluntários receberão alta nos dias 15 e 20 de julho", disse Smolyarchuk, chefe do Centro de Pesquisa Clínica em Medicamentos da Universidade Sechenov. Segundo a pesquisadora, os voluntários permanecerão sob supervisão médica em regime ambulatorial após receberem alta.

    Atualmente, três pesquisas - Reino Unido, China e Estados Unidos - lideram a corrida. Cientistas explicam que dizer que uma vacina é a mais promissora ou é a mais adiantada significa que ela se mostrou eficaz em mais etapas dos testes pré-clínicos (animais) e clínicos (humanos). Mas não significa necessariamente que ela seja a mais próxima de ser bem-sucedida.
    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 13/07/2020 às 20:25
    Autor: r2reis Offline

    Confira o seu: Ferramenta permite visualizar casos de covid-19 por CEP no Rio
    Plataforma permite realizar a busca pelo CEP específico ou navegar pela cidade clicando nos círculos no mapa
    Por Agência Brasil

    Publicado às 11h34 de 13/07/2020 - Atualizado às 11h34 de 13/07/2020

    Rio - Com a ideia de ajudar no combate à pandemia da covid-19 com informação georreferenciada, foi colocado no ar na semana passada a ferramenta Covid por CEP Clique aqui. Criada pelo jovem urbanista Thales Mesentier, o mapa oferece a visualização espacial dos casos da doença na cidade do Rio de Janeiro de acordo com o código de endereçamento postal.

    Com mais de 100 mil visitantes em menos de uma semana no ar, a ferramenta permite realizar a busca pelo CEP específico ou navegar pela cidade clicando nos círculos no mapa. As cores dos círculos indicam se o local tem muitos ou poucos casos da doença e um círculo ao redor mostra os CEPs que registraram óbitos. São informados o número de casos registrados com aquele CEP, quantos casos ainda estão ativos, o número de recuperados e o de mortes decorrentes da doença.

    O Covid por CEP utiliza bancos de dados públicos, da prefeitura do Rio de Janeiro e do Ministério da Saúde, que são organizados e colocados no ar na forma de mapa. As informações são atualizadas diariamente.

    Desigualdade

    Os dados mostram uma maior concentração de casos de covid-19 nas regiões mais ricas da cidade. Segundo Mesentier, isso indica também um maior acesso da população dessas áreas aos testes diagnósticos. Por outro lado, ele aponta que regiões mais pobres, principalmente na zona oeste, apresentam uma taxa de letalidade pelo vírus muito maior do que a média do estado, que já é uma das maiores do Brasil.

    "Vale lembrar que a taxa de letalidade no Rio é uma das maiores do Brasil (11,44% - 07/07). Mas a situação em alguns bairros é ainda pior. Na Zona Oeste a taxa de letalidade é 17,69%. Em Bangu é 20,17%. No Complexo da Maré é 22,13%", publicou ele em sua conta no Twitter.

    No Brasil, a taxa de letalidade da doença está em 3,9%, segundo os dados de ontem (12) do Ministério da Saúde. No estado do Rio de Janeiro, a taxa está em 8,8% segundo a última atualização da Secretaria de Estado de Saúde. O painel da prefeitura não traz essa informação para a cidade do Rio de Janeiro, mas indica que os bairros com os maiores números de casos são Copacabana, Barra da Tijuca, Tijuca, Campo Grande e Bangu.
    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 19/07/2020 às 20:24
    Autor: r2reis Offline

    Mapeamento portátil para covid-19
    Laboratório da Uerj cria ferramenta para avaliar risco de contágio do vírus no ar
    Por O Dia

    Publicado às 00h00 de 19/07/2020 - Atualizado às 00h00 de 19/07/2020


    A taxa de testagem para o novo coronavírus no Rio de Janeiro continua abaixo do necessário para apresentar um mapeamento concreto do contágio da doença no estado. A partir dessa lacuna no acompanhamento do número real de casos, o Laboratório de Radioecologia e Mudanças Globais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) desenvolveu o Coronatrack. É uma ferramenta portátil para fazer monitoramento da quantidade de vírus presente no ar em ambientes fechados, uma nova alternativa para entender o comportamento da covid-19.

    O equipamento, produzido por uma impressora 3D, capta o ar a partir de um receptor acoplado na altura do peito, e a amostra ficará armazenada em uma caixa com sistema de bombeamento. A movimentação do voluntário será acompanhada pela equipe do Laboratório a partir do monitoramento via GPS.

    Após a coleta, a amostra retorna à Uerj para ser submetida ao teste RT-PCR, conhecido como "padrão ouro" pela Organização Mundial da Saúde e o mais eficaz no diagnóstico da covid-19, para avaliar a presença da doença na região.

    "Desde o começo da pandemia, estudamos o ar de várias regiões para confirmarmos se há ou não risco de transmissão na localidade, mas queríamos um aparelho mais compacto para analisar o contágio em ambientes fechados, como o transporte público ou escritórios. O Coronatrack, de uso individual, poderia nos ajudar a descobrir qual a presença do vírus em um trem lotado que sai de Santa Cruz, por exemplo", explica Heitor Evangelista, professor de Biofísica da Uerj e coordenador do projeto.

    O desenvolvimento, orquestrado por três alunos do laboratório, garante o resultado do mapeamento em até três dias, tempo necessário para processar a amostra na máquina de RT-PCR. O processo para conseguir a patente já está em curso pela Uerj. Para a produção em larga escala, entretanto, o professor reforça a importância de aporte financeiro do governo ou da iniciativa privada.

    Casos e mortes ainda crescem no estado

    Levantamento divulgado pelo Portal Covid-19: Observatório Fluminense, plataforma com projeções sobre o novo coronavírus, no fim de junho apontava o Rio de Janeiro como o estado brasileiro com a maior taxa de letalidade, próxima dos 10%, explicada pela alta taxa de subnotificação.

    Segundo o relatório, se o estado fluminense fosse um país, estaria na sétima posição do ranking mundial, com 511 mortes por milhão de habitantes, enquanto na cidade, são mais de 800 mortes por milhão. Os dados apresentados retratam, ainda, que o número de novos casos e mortes continua elevado no Rio.

    As pesquisas são coordenadas por pesquisadores das áreas de Matemática, Engenharia e Computação de sete instituições públicas de ensino do Brasil.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 26/07/2020 às 19:30
    Autor: r2reis Offline

    Apresentador do Grupo Globo é internado em UTI com Covid-19
    Estado de saúde do jornalista inspira cuidados
    Por O Dia

    Publicado às 18h17 de 26/07/2020 - Atualizado às 18h32 de 26/07/2020

    Rio - O apresentador Rodrigo Rodrigues, do Grupo Globo, está internado na UTI de um hospital particular no Rio de Janeiro com Covid-19. O jornalista contraiu o vírus há cerca de duas semanas, período em que se afastou do "Troca de Passes", no SporTV.

    De acordo com o "UOL", O apresentador teve complicações neste fim de semana e foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) especializada no tratamento da Covid-19, no Hospital Unimed Rio, na Barra da Tijuca.

    Ainda segundo o portal, o estado de saúde do apresentador inspira cuidados. A Unimed Rio confirmou a internação de Rodrigo, mas não deu maiores detalhes sobre o caso.

    O sobrepeso de Rodrigo já era motivo de preocupação para alguns colegas, já que vinha lhe causando dificuldades de respiração. O narrador do Esporte Interativo André Henning, amigo de Rodrigo, se mostrava aflito com a situação e confirmou ao "UOL" que não consegue contato com Rodrigo há dias.

    A Globo divulgou a seguinte nota sobre a internação do apresentador:
    "O apresentador Rodrigo Rodrigues está internado no hospital Unimed Barra, no Rio de Janeiro, com todo o apoio e acompanhamento da Globo. Rodrigo teve diagnóstico confirmado de COVID-19 há cerca de 15 dias e estava em casa - afastado do trabalho - desde então. As informações médicas sobre o caso serão fornecidas pelo hospital".
    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 26/07/2020 às 19:58
    Autor: r2reis Offline

    Campeonato catarinense suspenso até 7 de agosto por causa dos casos de Covid-19. Fonte: Diário Catarinense.

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 28/07/2020 às 20:05
    Autor: r2reis Offline

    Apresentador do Grupo Globo, Rodrigo Rodrigues morre aos 45 anos
    Jornalista teve diagnóstico de Covid-19 e estava internado desde o último sábado
    Por O Dia

    Publicado às 12h40 de 28/07/2020 - Atualizado às 18h14 de 28/07/2020


    Rio - Internado deste o último sábado no Hospital Unimed-Rio, no Rio de Janeiro, o apresentador do Grupo Globo, Rodrigo Rodrigues morreu nesta terça-feira aos 45 anos. Ele teve diagnóstico de Covid-19 e durante a internação teve complicações devido a uma cirurgia para controlar uma trombose venosa cerebral (TVC) e não resistiu. A informação da morte foi anunciada pelo programa SportTV News, do SporTV, na tarde desta terça-feira.

    LEIA MAIS: Confira mais informações sobre o mundo do Esporte

    Rodrigo Rodrigues era um dos principais apresentadores do SporTV e eventual substituto de Felipe Andreoli no "Globo Esporte", da TV Globo. Nascido no Rio de Janeiro, ele passou por diversos canais de televisão, como TV Cultura, SBT, ESPN Brasil, Band, Gazeta e Esporte Interativo. No SporTV, ele comandou programas como "Troca de passes", "Redação SporTV", "SporTV News", "Tá na Área" e "Seleção SporTV", além de ancorar o "Globo Esporte" em esquema de plantão aos sábados na TV aberta.

    Além do esporte, Rodrigo também trabalhou na área cultural, em programas como "Vitrine", da TV Cultura, "5 Discos", da Gazeta, e "Cor de Rosa", do SBT. Ainda lançou livros: "As Aventuras da Blitz", sobre a trajetória do grupo musical comandado por Evandro Mesquita, e "London London", um guia para conhecer Londres de metrô.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 29/07/2020 às 09:13
    Autor: Renatoraposao Offline

    Uma pena, realmente gostava muito dele, não o acompanhei no Sportv, mas da epoca da ESPN acompanhava quase diariamente.

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 29/07/2020 às 19:30
    Autor: r2reis Offline

    Em 29/07/2020, Renatoraposao escreveu:

    Uma pena, realmente gostava muito dele, não o acompanhei no Sportv, mas da epoca da ESPN acompanhava quase diariamente.


    Ele conseguiu algo impensável pouco tempo atrás. Uma transmissão conjunta de Sportv e ESPN por 30 minutos...

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 31/07/2020 às 20:08
    Autor: r2reis Offline

    Covid não existe diz pastor após igreja descumprir toque de recolher
    Religioso não assinou auto de infração e rasgou o papel na frente dos fiscais
    Por iG

    Publicado às 13h10 de 31/07/2020 - Atualizado às 16h04 de 31/07/2020

    Na noite da última quinta-feira (30), uma igreja na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul , descumpriu o toque de recolher e aglomerou pessoas sem máscaras. Segundo o G1, o pastor da igreja disse à equipe de fiscalização que "O Covid não existe, quem manda aqui é Deus".

    Agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) flagraram a igreja funcionando fora do horário permitido. Ao entrarem no local, fiscais contabilizaram cerca de 60 pessoas no local, o que desrespeita o limite de 30% da capacidade.

    Ao ser abordado pelos fiscais, que pediram para que o culto fosse encerrado, o pastor ofendeu os servidores, chamando-os de "corruptos, ladrões, assaltantes" e dizendo que eles só queriam dinheiro. Ele finalizou dizendo que a Covid-19 não existe e que quem manda na igreja é Deus e "não promotor, prefeito ou governador".

    Segundo informações da Guarda Municipal, o pastor se recusou a assinar um auto de infração e rasgou o documento na frente dos fiscais. Segundo o G1, houve tumulto durante o episódio, o que impossibilitou a prisão em flagrante do pastor.
    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 09/08/2020 às 16:26
    Autor: lucasbrighenti Offline

    Em entrevista, Trump cita Brasil como mau exemplo na pandemia de Covid-19

    O presidente americano Donald Trump citou o Brasil como um mau exemplo no trato com a pandemia da Covid-19 durante entrevista ao Axios, na HBO. Questionado sobre o alto número de casos e mortes que o país registra, Trump respondeu que existem países em situações muito piores.

    "Se você assiste as fake news na televisão, eles nem falam sobre isso, mas você sabe, existem outros 188 países que estão sofrendo proporcionalmente muito mais do que nós, tão ruins quanto nós... Neste momento a Espanha está tendo um grande aumento, e há um tremendo problema no mundo. Você olha para Moscou, olha o que está acontecendo com Moscou, olhe para o Brasil, olha o que está acontecendo nestes países", afirmou Trump.

    Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia, com 4.793.950 casos confirmados e 157.416 mortes pelo novo coronavírus até esta quarta-feira (5).

    Na mesma entrevista, que foi ao ar na noite da última segunda (03/08), Trump foi perguntado sobre o alta taxa de mortalidade da Covid-19 entre os americanos e declarou que "é o que é". O presidente também disse que a pandemia está "sob controle" nos EUA.

    "Eles estão morrendo. Isso é verdade. É o que é", disse Trump. "Mas isso não significa que não estamos fazendo tudo o que podemos. Está sob controle, o máximo que podemos controlar."

    https://www.cnnbrasil.com.br/internacional/2020/08/05/em-entrevista-trump-cita-brasil-como-mau-exemplo-na-pandemia-de-covid-19

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 11/08/2020 às 20:03
    Autor: r2reis Offline

    E na lista nem estão os dois que foram afastados no Corinthians à tarde...

    Em quatro dias, Campeonato Brasileiro já tem 40 casos de Covid-19 entre atletas
    Casos foram registrados nas Séries A, B e C e já levaram ao adiamento de três partidas
    O Globo
    11/08/2020 - 16:28 / Atualizado em 11/08/2020 - 17:23


    A realidade falou mais alto no futebol. Decidida a dar início ao Campeonato Brasileiro mesmo num contexto em que o Brasil não consegue deixar o platô de mortes por Covid-19, a CBF viu o coronavírus se tornar o centro das atenções nas Séries A, B e C do país. Depois de apenas quatro dias do início das competições, já são 40 casos de atletas contaminados.


    Os casos mais recentes vieram a público nesta terça. Na Série B, nove jogadores do CSA, de Alagoas, testaram positivo para a doença. Eles se somam a outros nove que já haviam sido afastados das atividades na última sexta-feira, também por contaminação pelo novo coronavírus. Em quarentena obrigatória, os infectados da semana passada não participaram do jogo contra o Guarani, realizado no último sábado, em Maceió.

    ANÁLISE:Com 100 mil mortos e calendário apertado, Brasileirão de 38 rodadas pode ser exagero

    Agora com um total 18 atletas afastados, o clube alagoano ficou sem opções suficientes para montar uma delegação que pudesse viajar a Chapecó, em Santa Catarina. À CBF, restou adiar o duelo dos nordestinos contra a Chapecoense. Inicialmente marcado para quarta-feira, ele agora não tem data para ocorrer.

    O mesmo ocorreu com o confronto entre Goiás e São Paulo. O jogo não só estava previsto para o último domingo, pela Série A, como quase foi disputado. Somente a poucos minutos antes da realização da partida veio a confirmação de que nove atletas da equipe esmeraldina estavam contaminados. Agora, o confronto também aguarda uma remarcação, que vai depender de quando o apertado calendário montado pela CBF dará uma brecha.

    ABRIU TUDO EM GOIÂNIA:Presidente do Goiás defende jogadores após contaminação em massa

    Nesta terça, o Goiás sofreu mais um desfalque para o novo coronavírus. Um atleta foi diagnosticado nos exames realizados no domingo, já visando ao confronto com o Athletico, nesta quarta, em Curitiba. Com isso, já são dez atletas do clube que testaram positivo desde o início da Série A. Ao todo, 12 estão afastados. Os outros dois foram diagnosticados antes do Brasileiro e ainda não terminaram de cumprir a quarentena.

    Na Série C, a partida entre o Treze, de Campinas Grande (PB), e o Imperatriz (MA) também foi adiada. Dos 19 jogadores da equipe maranhense, 12 testaram positivo para Covid-19. O resultado só foi descoberto no domingo, quando os atletas já estavam no interior paraibano para a realização da partida.

    NA ARGENTINA:River e Boca voltam aos treinos, e ao menos três atletas testam positivo

    Um dia antes, a Terceira Divisão já havia registrado dois casos positivos para Covid-19. Foram de atletas do Vila Nova (GO). O clube só foi comunicado dos resultados quando já estava em Manaus, para a partida contra o time de mesmo nome da cidade. A comunicação tardia gerou revolta no clube goiano, já que não impediu os contaminados de viajarem com o restante da delegação. No entanto, nesta terça, o vice-presidente Leandro Bittar informou que a contraprova destes jogadores deu negativo.

    PUBLICIDADE

    Mudanças no protocolo

    A explosão de casos e os jogos adiados colocaram o protocolo da CBF em xeque. E a entidade precisou reagir. Como parte da confusão se deu pelo atraso na divulgação dos exames, a entidade liberou os clubes para realizar os testes em laboratórios locais, "desde que portadores do selo de acreditação laboratorial, outorgado pelas entidades de saúde competentes, e obedecendo aos padrões de teste molecular especificados pelos protocolos".

    Leia mais:Mansur: Preocupado com política em vez de negócio, Brasil vive na Idade Média do futebol

    O Albert Einstein, onde as análises seriam centralizadas, continua como parceiro da confederação. No entanto, a falha na coleta das amostras dos jogadores do Goiás e o atraso na entrega dos resultados geraram insatisfação geral. A CBF também determinou que os resultados deverão ser enviados a ela em até 24h antes da partida pelo clube mandante. Já o visitante precisa fazê-lo até 12h antes da viagem.

    MARTÍN FERNANDEZ:Saudades de quando o 7 a 1 era só dentro de campo

    A descentralização do laboratório foi anunciada nesta segunda-feira ao lado de outra novidade no protocolo médico: todos os jogadores inscritos na competição por cada clube precisarão se submeter aos exames antes dos jogos. Inicialmente, apenas os relacionados para o confronto e o treinador precisavam passar pelo teste. O objetivo é impedir que muitos resultados positivos de uma só vez inviabilizem o trabalho de escalar uma equipe para a partida.

    PUBLICIDADE

    Por uma questão de tempo hábil, as mudanças só valem a partir de sexta-feira. Elas são uma tentativa de se responder aos problemas surgidos durante os primeiros dias de Brasileiro. Mas, numa competição disputada num momento de auge da pandemia no país, fica o receio de que novos obstáculos surjam nos próximos dias.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 15/08/2020 às 21:14
    Autor: r2reis Offline

    Fora a avó da madrasta que morreu dias atrás.

    Filho 04 de Bolsonaro está com covid-19
    Por Bela Megale

    14/08/2020  10:32

    Jair Renan, a quem Bolsonaro sempre chama de filho 04, está com covid-19. Segundo pessoas próximas a Jair Renan, ele está com sintomas leves, como perda de olfato.

    Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, já foram infectados, assim como Heloisa Bolsonaro, esposa do deputado federal Eduardo Bolsonaro.

    Jair Renan é filho de Ana Cristina Valle, assessora parlamentar e ex-mulher do presidente. Procurado, o Palácio do Planalto não se manifestou até a publicação desta nota.

    Em abril, Jair Renan fez piada com a pandemia e disse que preferia "morrer transando que tossindo". As declarações foram feitas no dia 20 de abril no Twitch, um site de streaming focado na transmissão de videogames.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 15/08/2020 às 21:17
    Autor: r2reis Offline

    O exemplo de Moçambique
    Moçambicanos vêm cumprindo as instruções do governo com a "disciplina revolucionária" instituída nos primeiros anos pós-independência
    JOSÉ EDUARDO AGUALUSA
    15/08/2020 - 04:30
    Newsletters
    PUBLICIDADE

    Regressei a Moçambique na semana passada. Foi a primeira viagem longa que fiz após o início da pandemia. Em Lisboa, o aeroporto funcionava normalmente, com muita gente circulando, as lojas abertas, os restaurantes servindo refeições rápidas. No chek in pediram-me uma autorização do Ministério do Interior de Moçambique, mas não o teste ao Covid-19, que eu fizera dois dias antes, e que, felizmente, deu negativo.

    O voo de dez horas decorreu sem o menor incidente, com os passageiros respeitando as orientações da tripulação - manter a máscara e nunca sair do lugar, excepto para ir ao banheiro.

    Contudo, assim que abriram as portas começou o tormento. Ao invés das mangas de acesso, que nos deveriam conduzir aos salões confortáveis do aeroporto, fomos recebidos na placa, sob um vento gelado, por dezenas de "astronautas", vestidos de plástico branco da cabeça aos pés. Os "astronautas" separaram os passageiros: os que já tinham feito o teste avançaram mais alguns metros; os restantes foram deixados para trás, entregues à fúria da intempérie. Tive de explicar várias vezes os motivos da minha visita, mostrar o teste, as cartas e as autorizações, medir a temperatura corporal e preencher diversos formulários antes de, finalmente, alcançar a última das fronteiras, conseguir um carimbo no passaporte e entrar oficialmente no país.

    Nas ruas de Maputo testemunhei o rigor com que os moçambicanos encaram a epidemia. Há cartazes por toda a parte, alertando para as medidas de higiene necessárias para travar o avanço do vírus. Nas rádios, os apelos são constantes. A maioria das pessoas que circulam nas ruas usam máscara. Algumas destas máscaras, produzidas com tecidos africanos (capulanas) são espantosamente bonitas, tão elegantes que parece terem feito parte, desde sempre, da indumentária local. Comecei a colecioná-las esperando que, num futuro próximo, possam servir de testemunho, raro e estranhamente harmonioso, de um tempo sombrio. Vejo nas máscaras de capulana uma metáfora perfeita para o espírito de resistência dos africanos: a demonstração de que é possível transformar em beleza até a pior das tragédias.

    PUBLICIDADE

    Em Moçambique, país com 30 milhões de habitantes, morreram até ao momento em que escrevo esta coluna 17 pessoas por covid-19. A vizinha África do Sul, com 57 milhões de habitantes, já conta mais de dez mil mortos.

    As rápidas medidas de contenção, incluíndo o fechamento das fronteiras, explicam, em parte, o sucesso de Moçambique no combate à pandemia. O povo moçambicano vem cumprindo as instruções do governo com a famosa "disciplina revolucionária" instituída nos primeiros anos após a independência. Em todas as lojas, mesmo nas mais humildes, os clientes são convidados a lavar as mãos com álcool-gel. Nas estradas, à entrada de cada província, há brigadas responsáveis pela lavagem dos veículos. Os passageiros têm de sair do carro para medir a temperatura e lavar as mãos.

    Ao mesmo tempo, Moçambique optou por não impor regime de lockdown. O comércio nunca fechou as portas, e os mercados ao ar livre continuam tão animados e coloridos como antes do fim do mundo. É um modelo que tem permitido conter a pandemia sem castigar demasiado uma população já muito sofrida. Até agora está dando certo.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 23/08/2020 às 19:38
    Autor: r2reis Offline

    Rio produzirá soro em larga escala contra covid-19
    Produzido no Instituto Vital Brazil, agora segue para testes clínicos em pessoas com coronavírus a pedido da Anvisa
    Por O Dia

    Publicado às 00h00 de 23/08/2020 - Atualizado às 07h35 de 23/08/2020

    O soro capaz de tratar pacientes infectados pelo coronavírus está mais próximo de se tornar um medicamento e a ficar disponível para as pessoas utilizarem no combate ao vírus em todo o país. Na última quarta-feira, equipe de cientistas do Instituto Vital Brazil (IVB), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Saúde e responsável pela criação do soro, se reuniu com técnicos da Anvisa para discutir a liberação da testagem. Dessa forma, o Estado do Rio sai na frente e vai produzir em larga escala soro contra a covid-19. A pesquisa foi desenvolvida pelo IVB em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

    A expectativa dos pesquisadores envolvidos é de que sejam iniciados os testes clínicos e a produção do soro anti-SARS-CoV-2 em grande escala nos próximos dois meses.

    "A conversa na última quarta-feira com a Anvisa foi muito positiva, melhor do que esperávamos. Agora vamos para o período de teste clínico, que a agência reguladora solicita para registro do produto. Só depois dessa permissão para assim iniciar a produção em larga escala", explica Adilson Stolet, presidente do IVB.

    Nestes dois meses, o teste clínico vai ser liberado para uso em pacientes com o coronavírus. A testagem ocorrerá em parceria com o Instituto DOr de Pesquisa e Ensino (IDOR).

    "O soro vai contribuir para todo o país, vai ajudar reduzir o número de pacientes internados e ajudar a neutralizar o vírus em muitas pessoas. Por isso, há o interesse de todas as partes para que seja aplicado em certa urgência nos pacientes. Será cedido de graça aos pacientes do coronavírus", explica o presidente do instituto, Adilson Stolet.

    CEM MIL TRATAMENTOS

    De acordo com Stolet, o instituto possui capacidade para produzir o quantitativo de soro contra o coronavírus para cem mil tratamentos por ano.

    Para o governador do Rio, Wilson Witzel, a pesquisa do IVB entra para a história por seu pioneirismo no tratamento contra o coronavírus. "Em breve, vamos poder ajudar as pessoas em todo o país, e até outros países, a combater essa pandemia devastadora. A descoberta do soro é resultado dos investimentos do nosso governo em pesquisas científicas. Foram R$ 440 milhões desde o ano passado. Deste total, R$ 35 milhões foram destinados a estudos relacionados à covid-19. Além disso, vamos aportar mais R$ 2 milhões para concluir a produção do soro anti-SARS-CoV-2", afirmou ele.



    Medicamento é feito a partir do plasma de cavalos

    Por meio de experimentos com cavalos, os cientistas descobriram que o plasma sanguíneo dos animais produz de 20 a 50 vezes mais anticorpos do que os humanos, ao desenvolver agentes de defesa contra veneno inoculado em seu organismo. Os testes começaram em maio na Fazenda Vital Brazil, em Cachoeiras de Macacu, interior do Rio. Cinco cavalos do IVB receberam pequenas doses do vírus para que criassem anticorpos contra ação do veneno injetado neles.

    Após 70 dias de observação, quatro dos cinco animais produziram anticorpos dezenas de vezes mais potentes no combate ao vírus do que os encontrados em pacientes infectados. O material passa por etapas de produção e testes até se tornar o soro.

    A pesquisa - que está sendo patenteada - tem apoio da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio (Faperj), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 03/09/2020 às 20:20
    Autor: r2reis Offline

    Robert Pattinson testa positivo para Covid-19 e interrompe novamente set de The Batman
    Informações são da Vanity Fair; Warner Bros. confirma a interrupção dos trabalhos, mas não diz quem foi infectado
    O Globo
    03/09/2020 - 17:55 / Atualizado em 03/09/2020 - 18:26


    RIO - Interrompidas anteriormente em março, por conta da pandemia, as filmagens de "The Batman" tiveram de ser novamente pausadas após o astro Robert Pattinson testar positivo para Covid-19. A informação foi divulgada pelo site da "Vanity Fair" nesta quinta, mas a Warner Bros. não confirmou, afirmando que não comentaria sobre casos individuais.


    Em nota, o estúdio justificou que interrompeu o set por causa de "uma pessoa não especificada". "Um membro da produção de The Batman testou positivo para Covid-19, e está isolado de acordo com protocolos estabelecidos", destacou o comunicado.

    Crise: Coronavírus ameaça a indústria dos super-heróis

    Dirigido por Matt Reeves ("Planeta dos macacos: A guerra"), o novo longa do Homem-Morcego traz ainda no elenco Zoe Kravitz como a Mulher-Gato, Colin Farrell como o Pinguim e Andy Serkis como o mordomo Alfred. O longa está previsto para estrear em 1º de outubro de 2021.

    Clique aqui

    Dwayne The Rock Johnson diz que ele e a família tiveram Covid-19
    Em rede social, o ator contou que ele, a mulher e duas filhas já estão recuperados, e insistiu para que as pessoas usem máscaras
    Reuters
    03/09/2020 - 00:43 / Atualizado em 03/09/2020 - 07:15

    LOS ANGELES - O ator e ex-lutador Dwayne "The Rock" Johnson disse nesta quarta-feira, por meio de um vídeo em redes sociais, que ele, a esposa e suas duas filhas testaram positivo para Covid-19 nas últimas semanas, mas que já se recuperaram. Johnson, de 48 anos, disse que ele, a mulher, a cantora Lauren Hashian, de 35, e as filhas Jasmine, de 4, e Tiana, de 2, contraíram a doença há cerca de três semanas de "amigos muito próximos", que, por sua vez, não sabem como foram infectados.

    - O que eu posso dizer é que foi uma das coisas mais difíceis e desafiadoras que já enfrentamos como família, e para mim, pessoalmente - disse ele no vídeo.

    Em alta:Dwayne Johnson, The Rock, é o ator mais bem pago do mundo. Veja quem mais está na lista

    Segundo o ator, sua família, assim como os amigos de quem contraíram a doença, estavam sendo "incrivelmente disciplinados" nas medidas para evitar o vírus. As duas crianças, disse Johnson, sofreram apenas "uma leve dor de garganta nos primeiros dias" e se recuperaram logo, embora ele próprio e a mulher tenham "passado por maus bocados".

    - Mas estou feliz em dizer que nossa família está bem, chegamos ao outro lado. Já não estamos transmitindo o vírus e estamos, graças a Deus, saudáveis.

    Johnson, que ganhou fama na luta livre como "The Rock" antes de virar ator, insistiu para que as pessoas usem máscaras para limitar a disseminação da doença.

    - Fico chocado que algumas pessoas, incluindo certos políticos, tentem transformar o uso de máscaras numa questão partidária - disse ele. - É um fato (a necessidade da máscara), a coisa certa e a coisa responsável a fazer.

    Clique aqui

  • Avatar

    Coronavírus (COVID-19) Tudo sobre a pandemia. Discuta aqui:

    Operadora
    Postado em: 18/09/2020 às 20:11
    Autor: r2reis Offline

    Lado a lado com Trump, Bolsonaro recebe prêmio "Ig Nobel" por má gestão de pandemia
    Evento é realizado por revista "Annals of Improbable Research", que conta com investimento de entidades como Harvard, nos Estados Unidos
    Por iG

    Publicado às 12h42 de 18/09/2020 - Atualizado às 12h42 de 18/09/2020

    O presidente da República, Jair Bolsonaro , e dos Estados Unidos, Donald Trump , estão entre os "vencedores" da 30ª edição do prêmio Ig Nobel, que todo ano "premia" os fatos mais irrelevantes ou inusitados da ciência mundial.

    No anúncio da noite desta quinta-feira, os dois líderes ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin, da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, do México, Andrés López Obrador, de Belarus, Aleksandr Lukashenko, do Turcomenistão, Gurbanguly Berdimuhammedow, e dos primeiros-ministros do Reino Unido, Boris Johnson, e da Índia, Narendra Modi, receberam o prêmio de "Educação Médica".

    Segundo os organizadores, eles tiveram um "efeito mais imediato sobre a vida e sobre a morte do que cientistas e médicos" na gestão da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Todos, em maior ou menor grau, tiveram posturas negacionista em relação à Covid-19 e, não por acaso, alguns dos países citados estão entre os que registram a maior quantidade de casos da doença no mundo: EUA, Brasil, Índia e Rússia.

    O evento é organizado pela revista "Annals of Improbable Research", graças ao financiamento de diversas entidades, como os estudantes de Física da Universidade de Harvard, nos EUA. O anúncio é sempre feito no teatro da Universidade de Harvard, no Reino Unido, mas neste ano foi realizado de maneira online por conta da Covid-19.

    O "prêmio" para os vencedores é uma nota de 10 trilhões de dólares do Zimbábue e uma caixa de montagem com as instruções sobre como montar em um dos lados da peça.

    - O Ig Nobel: De acordo com a organização, o objetivo é "celebrar o incomum, homenagear a imaginação e estimular o interesse das pessoas na ciência". No ano passado, o grande vencedor foi um estudo sobre se a pizza feita na Itália ajuda a combater o câncer.

    Na edição 2020, os demais prêmios seguiram a linha mais cômica da premiação. Cientistas do Brasil, Itália, Escócia, Polônia, França, Colômbia, Chile e Austrália foram premiados na categoria "Economia" por tentarem fazer relação entre o tamanho do Produto Interno Bruto de um país e a quantidade de beijos na boca registrada nele.

    Também com participação de pesquisadores italianos - ao lado de australianos, ucranianos, alemães, franceses, britânicos e sul-africanos - foi dado o prêmio "Física" por um estudo sobre o que acontece com o corpo de uma minhoca se ele for colocado para vibrar em alta frequência.

    Já os governos da Índia e do Paquistão venceram a categoria "Paz" por permitirem que seus diplomatas tocassem as campainhas das casas uns dos outros no meio da noite e depois fugissem.

    Outros prêmios foram dados para uma pesquisa que induziu uma fêmea de jacaré a soltar um ruído após cientistas a colocarem em uma sala repleta de gás hélio; o diagnóstico de um novo tipo de doença psiquiátrica, a misofonia, que são pessoas que sofrem ao ouvir outra pessoa mastigando; e o método canadense para descobrir se alguém é narcisista por conta do formato da sobrancelha.

    Clique aqui

  • Primeira
  • 23
  • Página de 25
  • 25
  • Última
As publicações desta página são unicamente de responsabilidade de seus autores, de acordo com os Termos de Uso da TV Magazine.

Busca no Fórum

Agenda de Canais

  • Atualize-nos: informe a TV Magazine sobre sinais abertos, alterações de canais e line-ups na sua cidade, seja TV aberta ou paga.

Fale Conosco

Dúvidas, ideias, sugestões, elogios ou críticas?
Queremos ouvir você!

© 2020 - TV Magazine, todos os direitos reservados. Programação da TV fornecida por Revista Eletrônica.
Proibida a cópia parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização expressa.